.

.
 

Previsão do Clima para janeiro, fevereiro e março

dia terça-feira, 5 de janeiro de 2010
PREVISÃO DE CHUVAS DE NORMAL A ABAIXO DA MÉDIA, NO SEMIÁRIDO POTIGUAR, NOS MESES DE JANEIRO, FEVEREIRO E MARÇO

A 1ª Reunião de Análise e Previsão Climática para o setor norte do Nordeste (semiárido nordestino) foi realizada em Campina Grande/PB, de 15 a 17 de dezembro. Estavam presentes meteorologistas de todos os centros de meteorologia da região Nordeste, do CPTEC/ INPE e INMET. No Rio Grande do Norte 93% do seu território é semiárido.

Durante o encontro foram analisadas as condições regionais da pluviometria e as condições globais das variáveis meteorológicas dos oceanos e da atmosfera, assim como os resultados de modelos numéricos de previsão climática sazonal. Essas análises possibilitaram elaborar a previsão climática para o trimestre que vai de janeiro a março de 2010, para o semiárido nordestino.

COMPORTAMENTO DA PRECIPITAÇÃO EM NOVEMBRO DE 2009
Climatologicamente o mês de novembro é um período de chuvas escassas no Rio Grande do Norte. Foi observado durante esse mês ocorrência de chuvas fracas na região de Mossoró, Seridó e Litoral Leste.

ANÁLISE E PREVISÃO DAS CONDIÇÕES OCEÂNICAS E ATMOSFÉRICAS

Os dados observados mostram a continuidade da fase quente do fenômeno El Niño-Oscilação Sul (ENOS) no Oceano Pacífico Equatorial durante o mês de novembro de 2009. O fenômeno encontra-se na sua fase madura com intensidade moderada e com previsão dos modelos de permanecer até maio de 2010.
No Oceano Atlântico Tropical Sul observa-se que a Temperatura da Superfície do Mar (TSM) tem valores próximos da normalidade, enquanto que no Atlântico Tropical Norte há predomínio de anomalias positivas (temperatura em alta).
Desta forma, para o período de janeiro a março de 2010, a maioria dos modelos climáticos indica tendência de chuvas variando de normal a abaixo da média histórica sobre o setor semi-árido do Rio Grande do Norte, região essa que abrange as Regiões Oeste, Central e grande parte do Agreste. Com relação à temperatura do ar, a tendência é de aumento de temperatura entre 1 e 2ºC sobre toda a Região Nordeste.

Valores Climatológicos para o período de janeiro a março nas Mesorregiões do Rio Grande do Norte

Mesorregião &nbspChuva Média (mm) – janeiro a março

Oeste 367,6
Central 300,0
Agreste 209,3
Leste 313,1
Estado 297,3


CONSIDERAÇÕES COMPLEMENTARES SOBRE O PROGNÓSTICO
É importante ressaltar que o clima semiárido do Rio Grande do Norte tem como característica alta variabilidade espacial e temporal na ocorrência das chuvas. Isto significa que algumas localidades poderão receber chuvas em quantidade maiores em intervalos de tempo menores do que outras localidades.

Segundo os meteorologistas da Emparn, Gilmar Bristot e Ueliton Pinheiro, é importante lembrar também que a probabilidade de ocorrência de sistemas meteorológicos de mesoescala do tipo Vórtices Ciclônicos de Ar superior (VACS)- representados pela circulação ciclônica do vento na alta troposfera- durante os meses de janeiro e fevereiro é bastante expressiva e aumenta em anos de atuação do Fenômeno EL NIÑO. " Esses sistemas que favorecem na formação e ocorrência de chuvas principalmente no interior do Nordeste, só podem ser previstos através do acompanhamento diários do tempo, por isso a necessidade do acompanhamento da previsão diárias do tempo", Disse Gilmar Bristot.

CRONOGRAMA REUNIÕES:

•&nbspFortaleza / CE (19 e 20 de janeiro/2010)
•&nbspNatal /RN (fevereiro/2010)
•&nbspRecife/PE (março/2010)
•&nbspMaceió/AL (abril
Fonte:Emparn
Comentários
0 Comentários

0 comentários: